As belezas de Embu das Artes, SP

A cidade reúne vários artistas que recheiam o espaço da Feira de Artes para expor seus talentos.

As belezas de Embu das Artes encantam a todos, inclusive a quem não é apreciador de arte e está apenas de passagem em busca de algum móvel rústico ou passeando com familiares. Mas, ao se deparar com o lugar, a maioria dessas pessoas acaba se apaixonando pela cidade. E não poderia ser diferente, pois as cores, os aromas, os sons e tamanha diversidade cultural agradam a todos. Confira tudo sobre essa cidade paulista que fica pertinho da capital (a 27 km) e é dedicada a tudo o que envolve o mundo artístico.

Origem e história de Embu das Artes

M'Boy, assim era chamada a aldeia indígena que, muitos anos depois, originaria a cidade com o nome de Embu, e posteriormente, Embu das Artes. E se pronunciar o nome da aldeia era difícil, também não era menos complicado falar os “apelidos” que ela ganhou: Boy, Bohu, Bohi, Alboy, Emboi, Embohu e principalmente Bohy — posteriormente, todas essas grafias foram devidamente registradas por Sérgio Buarque de Holanda.

Em 1607, as terras de Bohy, que antes pertenciam ao bandeirante Domingos Luís Grou, foram requeridas por Fernão Dias Paes (conhecido como ‘o Moço’), Braz Esteves e Pero Dias. Em 1624, Fernão Dias Paes e sua esposa, Catarina Camacho, doaram sua fazenda aos padres jesuítas, mas foi apenas em 1668, que Bohy passou definitivamente a pertencer aos jesuítas tornando-se uma fazenda onde os índios eram catequisados.

Foi apenas em 1959 que Embu foi declarada município, mesma época em que o padre Belchior de Pontes começa a construir a igreja Nossa Senhora do Rosário — onde hoje se encontra a capela do Museu de Arte Sacra.

Também foi nesse período (1960) que os primeiros artistas começaram a se estabelecer na cidade. Os pintores, escultores, poetas, cantores e músicos vinham de várias partes do Brasil.

Os artistas e estudiosos da cultura popular brasileira encontraram em Embu um lugar muito propício para a produção e divulgação das suas artes. Esse movimento foi e continua sendo tão forte que o nome da cidade foi oficialmente modificado para Embu das Artes em 2011.

Um pouco mais sobre a cidade Embu das Artes

A bucólica cidade respira e transpira todas as expressões artísticas possíveis. Lá, é possível comprar quadros, peças de decoração, móveis e apreciar teatro, dança e música. Um ótimo passeio para quem deseja decorar a casa e também para aqueles que querem apenas fazer um programa diferente e muito inspirador.

A cidade reúne vários artistas que recheiam o espaço da Feira de Artes para expor seus talentos. Aos finais de semana, a cidade chega a receber cerca de 20 mil visitantes vindos de São Paulo, mas também de todas as partes do mundo. Confira tudo o que é possível encontrar em Embu.

Principais pontos turísticos de Embu das Artes

A cidade tem vários Museus para se visitar:

1. Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra dos Jesuítas e Igreja Nossa Senhora do Rosário ficam no mesmo endereço e a visita é praticamente obrigatória para quem deseja se aprofundar na história da cidade e gosta de apreciar a beleza barroca comum em igrejas.

Aliás, a arte barroca pode ser apreciada no rico acervo do museu, em suas peças entalhados em peças de terracota, de madeira e armações de roca. Toda essa riqueza histórica foi produzida nos séculos XVII e XIX.

2. Museu do Índio

Muito visitado por turistas estrangeiros, o Museu do Índio foi erguido pelo artista, escritor e pesquisador da cultura indígena Walde-Mar Andrade e Silva. O lugar reúne um acervo ligado aos rituais, hábitos alimentares, costumes, crença e arte indígena.

3. Memorial Sakai de Embu

A visita ao memorial é imperdível. Ele reúne inúmeras de peças de Tadakio Sakai, artista que é considerado um dos principais representantes da escultura em terracota brasileira. Ele é reconhecido pela originalidade de sua obra.

Os monitores conduzem os visitantes a conhecer mais sobre a vida de Sakai, como suas premiações, seus alunos famosos — como artista plástica Tomie Ohtake, por exemplo.

Artistas de rua

As estátuas vivas estão entre os artistas de rua que despertam muita curiosidade, sobretudo nas crianças. Quem gosta de se ver imortalizado em retratos, pode ter sua face eternizada de uma maneira que nenhuma selfie é capaz de fazer, pelos lápis e mãos ligeiras dos vários desenhistas.

Quem aprecia uma cultura musical diferenciada se encantará com os músicos bolivianos que entoam as músicas típicas dos Andes.

Cidade das Abelhas

Ao visitar as belezas de Embu das artes com crianças pequenas, a Cidade das Abelhas deve estar incluída no roteiro. Um lugar com colmeia gigante, casa do apicultor, museu apícola, labirinto e diversas outras atrações como trilhas, tobogã e arvorismo, tudo isso na exuberância da mata atlântica.

E como a Embu das Artes respira e transpira cultura, a visita ao local também inclui um passeio cultural, já que na Cidade das Abelhas, também é possível aprender tudo sobre a vida desses insetos que produzem mel, própolis e outros produtos benéficos à saúde.

Parque Francisco Rizzo

Outro passeio que vale a pena fazer com as crianças é visitar o Parque do Lago Francisco Rizzo. Sua maior atração é seu grande lago, moradia de várias espécies de peixes coloridos.

O espaço tem pista de corrida, biblioteca, brinquedoteca e um viveiro de mudas de árvores e plantas. Vale a pena conhecer!

Turismo gastronômico

Ainda que você não pense em ir à cidade para comer, em algum momento você sentirá fome e, certamente, se fará a pergunta: onde comer em Embu das Artes? A nossa dica é que nem nesse momento você deixe de apreciar o colorido e o encanto da cidade. Por isso, separamos dos lugares onde é possível comer bem ainda apreciar (ou mesmo comprar) coisas bonitas para você ou para presentear. Confira:

  1. O Garimpo: o ambiente é muito bem decorado e o couvert é quase uma refeição completa.
  2. Florbela Café: esse é para dar uma passada antes de ir embora. Os objetos de decoração do café não são apenas para serem admirados, mas também comprados.

Quem não quiser se demorar muito para se alimentar, pode ir visitando as inúmeras barraquinhas de rua que oferecem lanches e petiscos saborosos e originais. Dá, ainda, para comprar cachaças, queijos e outras guloseimas para levar para casa!

Fazer compras em Embu das Artes

O maior atrativo da cidade é mesmo fazer compras, principalmente se a ‘necessidade’ ou desejo for por objetos antigos, peças de arte, móveis rústicos e artigos de decoração e artesanato.

A Feira das Artes abriga 540 expositores que apresentam peças de vários cantos do país. Para quem vai a Embu em busca de bons negócios e quer fugir do tumulto dos domingos, a dica é ir durante a semana; não sendo possível, vá aos sábados mesmo. Anote o nome da rua onde se encontram as melhores lojas de móveis de vime e rústicos: Avenida Elias Yazbek.

Já está planejando sua viagem para conhecer as belezas de Embu das Artes?

O Clube Candeias, maior clube de turismo programado do Brasil, oferece o melhor em hospedagem. Clique aqui e saiba mais como tornar-se um associado e desfrutar de ofertas exclusivas!


Gostou deste artigo? Deseja receber mais conteúdos como este?