Conheça as belezas de São Miguel das Missões

O Rio Grande do Sul é cheio de belezas e, entre os milhares de municípios que compõem o estado, São Miguel das Missões ocupa posição de destaque por conta de sua história, pontos turísticos e arquitetura. Localizada à aproximadamente 524 km da capital, Porto Alegre, a cidade se destaca por localizar-se numa das regiões de maior importância na chamada cultura missioneira, que abrange os municípios que no passado abrigaram as reduções jesuítas.

Sete Povos das Missões

Foi lá que, no século 17 e 18, os padres jesuítas estabeleceram o que hoje é conhecido como “Sete Povos das Missões”. O objetivo era realizar a catequese dos índios que viviam na região. Ao longo da história centena de religiosos oriundos da Ordem dos Jesuítas (fundada por santo Inácio de Loyola em 1539) viveram no local realizando as missões e ensinando os nativos a ler, escrever e conhecer a Bíblia e o cristianismo.

Infelizmente, pouco permaneceu em pé depois de dois séculos de história, após várias guerras e revoluções. Mesmo assim, o que restou no sítio arqueológico de São Miguel Arcanjo, fundado em 1687, pode dar uma dimensão da grandiosidade arquitetônica que predominou naquela região há cerca de três séculos. Não por acaso, o local foi tombado pela Unesco em 1983 e hoje é Patrimônio Cultural da Humanidade.

Roteiro das Missões

Mesmo em ruínas, a Catedral de São Miguel das Missões impressiona por sua grandiosidade e beleza. A arquitetura mescla elementos da cultura europeia (a redução foi fundada na época em que a região estava sob domínio da Espanha) e também da indígena. Durante o dia, os turistas podem visitar as ruínas da igreja e conhecer a história do local.

À noite, por sua vez, o espetáculo de Luz e Som ilumina as ruínas e é uma bela experiência para os turistas, que podem se maravilhar com a exuberância da Catedral de São Miguel iluminada por spots de luzes coloridas. Não é à toa que o lugar é um dos pontos turísticos mais visitados do sul do Brasil!

Quase em frente à Catedral de São Miguel está localizada a Cruz Missioneira, um importante símbolo da obra jesuítica. Construída pelos índios em pedra arenito (como quase tudo na redução), ela representa a cruz de Caravaca. Trata-se de um dos mais importantes símbolos dos povos que habitaram a região das missões. À cruz original atribuía-se poderes milagrosos.

Não muito longe dali fica o Museu das Missões, outro dos locais de visitação obrigatórios para se conhecer na região de São Miguel. Projetado pelo grande arquiteto Lúcio Costa, o museu conta com obras vindas da Europa, além daquelas feitas pelos índios, especialmente imagens de santos católicos.

Para se conhecer mais a fundo a história de São Miguel e ter contato com a cultura preservada do local há outros lugares que podem ser visitados. A Fonte Missioneira é um deles. Localizada a 1 km do sítio de São Miguel, aproximadamente, foi descoberta em 1982 e sabe-se que era uma das principais fontes de água que abasteciam as reduções entre os séculos 17 e 18. Além dela, há outras seis, cuja localização ainda é desconhecida.

Viagem tranquila

Para quem deseja conhecer o local, há muitas pousadas e hotéis na região que dispõe de conforto e hospedagem de qualidade. O Candeias, maior clube de turismo programado do Brasil oferece o melhor em hospedagem. Clique aqui e saiba mais.


Gostou deste artigo? Deseja receber mais conteúdos como este?