Como aproveitar melhor as milhas para viajar

Uma das formas mais eficientes de economizar em viagens é o uso de milhas ou pontos no momento de compra das passagens. Em um sistema de recompensa, as milhas servem como uma moeda de compra adquirida a cada viagem. Para tornar essa prática mais eficiente existem alguns pontos que precisam ser considerados, mas, antes, vamos entender melhor como funciona esse programa:

O que são milhas e pontos?

Os primeiros programas de milhagem começaram nos EUA, na década de 80, e eram programas de fidelização exclusivamente de companhias aéreas. A nomenclatura “milhas” vem do fato de que, diferentemente do Brasil, nos EUA conta-se a distância em milhas e não em quilômetros (uma milha equivale a algo em volta de 1.6 km). Esse foi um método encontrado para, ao mesmo tempo, beneficiar os clientes que apresentavam certa frequência de utilização de uma mesma companhia na hora de viajar e fazer com que mantivessem a utilização constante daquela mesma companhia aérea em suas viagens. Assim, cada vez que esse passageiro voava uma quantidade de milhas, acumulava uma porcentagem delas para voos futuros.

Ou seja: milhas aéreas são uma unidade de medida que as empresas de aviação criaram para bonificar o cliente pelos voos realizados com a sua companhia.

Hoje em dia, no lugar do acúmulo de milhas segundo as distâncias percorridas, as companhias oferecem programas de pontos, o que abre a possibilidade de troca por outros produtos e serviços além dos voos. A implantação dos pontos também alterou a forma de os ganhar: o consumidor é recompensado baseado nas tarifas pagas, além do consumo em lojas exclusivas e conveniadas, não mais sendo relevantes as distâncias percorridas.

As milhas podem ser utilizadas, além da compra de passagens, para upgrades nas passagens e compras nas lojas dos programas de fidelidade.

Caso o cliente esqueça de cadastrar a passagem no programa de fidelidade no momento do check-in é possível pedir as milhas ou pontos retroativamente, pelos canais de atendimento da empresa utilizada. Os pontos podem ser adquiridos comumente também, no uso de cartões ou clubes de fidelidades.

Como transferir milhas e pontos

Para começar a acumular e transferir seus pontos é preciso cumprir três passos:

1 – Fazer um cadastro em um programa de fidelidade

Todas as companhias aéreas no Brasil dispõem de programas de fidelidade. Nesse momento é aconselhável avaliar qual seria a mais adequada para sua rotina ou desejos de viagens. Os cadastros são gratuitos.

2 – Saber a quantidade mínima de pontos para acumular

É muito importante que você saiba se seu cartão de crédito tem um valor mínimo para transferir os pontos do uso para o programa de fidelidade, segundo o acordo entre as instituições.

3 – Verificar como transformar pontos em milhas

Em alguns casos, a transferência de pontos é automática. Em outros, é necessário verificar os canais de atendimento do programa escolhido e as ferramentas que ele dispõe (aplicativo, site, telefone, etc.) para a transferência e resgate desses pontos.

Quando trocar

Após passar por esses passos, já com alguma quantidade de pontos acumulada, é necessário saber qual o melhor momento para esse procedimento. Para que essa operação seja o mais vantajosa possível, é necessário levar em conta alguns detalhes fundamentais:

  • Esteja atento às promoções e campanhas dos clubes de fidelidade, que podem oferecer generosos bônus em momentos específicos.
  • Transfira a pontuação somente após definir o destino que você deseja conhecer.
  • Esteja sempre atento à validade dos pontos.

Clube de turismo

A utilização de milhas pode significar grande economia no momento de viajar. Outra ferramenta para alcançar esse objetivo é Clube Candeias. Nele os associados têm à disposição uma gigantesca rede integrada com mais de 500 mil opções em hospedagens no mundo todo, unidades próprias espalhadas em diversas cidades brasileiras, o Clube ainda dispõe de um próprio programa de recompensas. Nele, o que foi gasto em hospedagem na rede integrada transforma-se em pontos a serem utilizados em futuras estadias nas unidades próprias.

Para saber mais, clique aqui.




Gostou deste artigo? Deseja receber mais conteúdos como este?