Viagem ao exterior: como fazer com o dinheiro?

Escolher a maneira certa para levar dinheiro nas viagens para o exterior pode significar grande economia, além de evitar muita dor de cabeça e perrengues durante o passeio.

A forma como se leva o dinheiro pode influenciar diretamente na experiência da viagem, por isso planejamento é fundamental. O simples fato de saber de coisas como o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e a oscilação cambial, pode trazer muitos benefícios para o viajante.

Mas, como fazer a melhor escolha?

No final das contas, isso depende de fatores como o estilo de viagem, o destino e as prioridades do viajante – se é a busca por economia, segurança e/ou praticidade.

Para auxiliar nessa escolha, colocamos abaixo as formas mais utilizadas pelos brasileiros para levar dinheiro nas viagens:

Em espécie

Comprar moeda estrangeira no Brasil e levá-la para o país de destino é a forma mais utilizada pelos brasileiros, e a grande razão disso é a economia.

Comprando no Brasil, o IOF é de apenas 1,1%, diferente dos 6,38% cobrados nas transações feitas em cartão.

O segundo motivo é a praticidade para a compra de produtos, principalmente em pequenos negócios locais como mercados, padarias e farmácias. Mesmo utilizando o cartão, na maioria parte das vezes, é sempre bom ter uma quantia em espécie para essas compras menores.

A maior desvantagem é o risco. No caso de perder esse dinheiro de alguma forma, dificilmente ele será recuperado. Nesse sentido, os cartões representam mais garantia por possuírem a opção de bloqueio. Por isso, a segurança para transitar e guardar esse dinheiro durante a viagem deve ser considerada.

É muito importante lembrar também que valores acima de R $10.000,00 ou correspondente, em outra moeda, devem ser declarados na receita federal, ainda no aeroporto.

Euro, libra, peso e dólar são moedas facilmente encontradas em casas de câmbio. Para outras moedas, uma boa solução é levar em dólar e trocar no destino.

Cartão de Crédito

Outro meio muito utilizado é o cartão de crédito, podendo ser habilitado com facilidade para ser utilizado no exterior por meio de solicitação na central de atendimento.

Ele tem várias vantagens, entre elas a segurança e praticidade – por ser amplamente aceito – além do fato de possuírem programas de pontos como recompensa por uso, a serem trocados por produtos ou serviços.

A maior desvantagem é o alto valor de IOF cobrado em cada transação: 6,38%. Além disso, é preciso lidar com a incerteza da variação cambial, já que será cobrado o câmbio do momento de emissão da fatura.

Cartão de débito

Outra opção viável para viagens ao exterior é o cartão de débito. Também com a desvantagem do imposto de 6,38% sobre o valor total, a única diferença entre os dois é que o usuário não fica refém da variação cambial, já que o valor cobrado será a do momento da transação. Deve se ficar atento também às taxas cobradas em cada saque.

O viajante deve lembrar de desbloquear a opção de saque no exterior para seu cartão de débito ainda no Brasil e, assim, evitar ter que passar horas em ligação internacional para resolver isso.

Cartão pré-pago

Uma outra opção muito fácil é a do cartão pré-pago.

Muitas empresas oferecem esse produto que funciona como um cartão comum e é também facilmente aceito. Nele, o viajante carrega previamente uma quantidade a ser utilizada e usa como um cartão de débito comum ou para fazer saques. Vale ficar atento para as taxas cobradas em cada saque.

Assim como com os cartões de crédito e débito tradicionais, a segurança e praticidade são as maiores vantagens dessa forma de levar dinheiro para a viagem ao exterior. Também como os outros, a grande desvantagem é a cobrança de IOF de 6,38%.

Além disso, em caso de sobra de algum valor creditado e o utilizador queira reavê-lo, ele ficará à mercê da oscilação cambial.

Planejamento

Dentro desse aspecto do planejamento da viagem, algo a se atentar é a hospedagem durante a estadia no destino. É essencial saber sobre a segurança do local onde ficará hospedado, e muitos hotéis oferecem serviços como cofres, pensando na segurança dos hóspedes.

Funcionando como um grande selo de qualidade, o Clube Candeias dispõe de rede integrada com mais de 500 mil opções em hospedagens espalhadas pelo mundo, facilitando muito o planejamento do associado.

É só clicar aqui, para saber um pouco mais.




Gostou deste artigo? Deseja receber mais conteúdos como este?